Jardim do Caracol da Penha.

PORQUÊ ESTE NOME?

Quinta da Palmeira, Quinta da Imagem, Monte do Alperche,
Bairro Brás Simões, Bairro de Inglaterra, Encosta da Penha de França,
Calçada da Penha de França,…

Pesquisámos nomenclaturas de antigas quintas, caminhos e bairros desta zona da cidade e deparámo-nos com o Caracol da Penha (de França), uma antiga designação da Rua Marques da Silva, que ladeia a norte o espaço verde da CML, e que nos pareceu ser a melhor opção.

Ou seja, inventámos a designação do jardim, mas não totalmente!

CARACOL?

Jardim do Caracol da Penha

Comício Republicano (c.1900), Alberto Carlos Lima

(DOCUMENTO PT/AMLSB/LIM/001398, Arquivo Municipal de Lisboa - Arquivo Fotográfico). Encosta da Penha de França, Igreja da Penha de França ao alto e muro de parte do Caracol da Penha a descer. Ao centro e à direita (topo da encosta), uma parcela da quinta cultivada que desejamos que venha a ser o Jardim do Caracol da Penha.

De facto. O Caracol da Penha rasga(va) a encosta num ziguezague que se inicia(va) na Igreja da Penha de França e termina(va) na Av. Almirante Reis (antes Av. Dona Amélia e Av. dos Anjos).

Vista da parte de baixo (dos campos que hoje serão hoje as zonas do Jardim Constantino, Largo da Estefânia, Rua de Arroios e os terrenos da Cervejaria Portugália), desenhava-se uma figura “encaracolada” encosta acima, por meio das quintas e poucas edificações.

O “Caracol” no Orçamento Participativo da CML

 

“Jardim do Caracol da Penha”. É o nome que três vizinhos atribuíram à proposta n.º 573, submetida ao Orçamento Participativo de Lisboa a 12 de Junho de 2016, para a criação de um jardim público num terreno de quase 10.000m2 da CML na encosta da Penha de França.

Esta proposta constitui uma alternativa à criação de um estacionamento da EMEL naquele terreno. Um jardim 100% para as pessoas, sem carros a passar!

Fontes principais:

https://toponimialisboa.wordpress.com

http://biclaranja.blogs.sapo.pt

http://arquivomunicipal.cm-lisboa.pt/pt/contactos/arquivo- fotografico/