UM ESTACIONAMENTO AJARDINADO NÃO É UM JARDIM

O Movimento pelo Jardim do Caracol da Penha não é contra a criação de estacionamento nas freguesias, mas considera que existem múltiplas soluções alternativas à destruição de um fantástico espaço verde existente (por exemplo, a utilização de prédios abandonados para silos automóveis, garagens atualmente fechadas, terrenos vazios)

O ENGANO DO PROJECTO DA CML/EMEL
 
RESERVAR PARA O USUFRUTO DAS PESSOAS
APENAS 17,81% DO ESPAÇO EXISTENTE. 

A zona de declive no topo (A1, ver abaixo) tem uma inclinação muito acentuada (66%), o que a qualifica como reserva ecológica, encontrando-se murada no projeto da CML/EMEL (inacessível às pessoas)

EXPLICAMOS PORQUÊ

O patamar superior (A2), o mais estreito, é o espaço destinado ao usufruto das pessoas: o projecto prevê um quiosque (Q) e um parque infantil (P.I.) -- para a zona de horta/ajardinada, em cima à direita, esteve prevista uma creche (uma boa ideia agora aparentemente abandonada...)

O patamar intermédio (A3) é, no projecto da CML/EMEL, para estacionamento

A faixa de declive entre os patamares de estacionamento (A4) é bastante inclinada e a zona verde também se encontra murada no projeto da CML/EMEL (inacessível às pessoas)

O patamar inferior (A5) é, no projecto da CML/EMEL, para estacionamento

Numa 2.ª fase do projecto, uma pequena parcela na parte inferior do terreno (A6) poderá eventualmente vir a ser também para usufruto das pessoas.

MOSTRAMOS AQUI O PROJECTO DA CML/EMEL

PROJECTO DA EMEL

MEDIÇÕES

ÁREAS DE ESTACIONAMENTO

ÁREAS DE DECLIVE ACENTUADO

ÁREAS DE USUFRUTO PARA AS PESSOAS